domingo, 8 de novembro de 2009

A SERRA DA GARDUNHA e a originalidade do magusto















Sendo eu originário da região do Oeste, desloquei-me hoje para mais um evento desta vez na Serra da Gardunha. Iniciando um passeio pedestre até ao ponto mais alto com partida da Aldeia de Alcongosta. Com a iniciativa da Gardunha Viva e da Junta de freguesia, lá fomos Serra acima com paisagens espectaculares com uma organização fabulosa. Não posso dizer que foi o melhor que já fiz, mas como, o intuíto da organização foi conhecer a região tivemos direito a uma feijoada, e no fim, um espectacular magusto que foi o que mais motivou esta deslocação. Nunca tinha observado um referido magusto Beirão já que não é tradição na minha região de nascimento. Que beleza aquele Povo utilizar a caruma em plena rua empedrada despejando as castanhas para o centro do fogo. Mas ainda não é aqui o que mais apreciei mas que após retiradas as castanhas do chão e as mãos negras das mesmas é tradição passar as mãos pelos que estão próximos e o negro é a cor predominante da face de cada um de nós. A alegria das pessoas e a boa disposição até porque ha sempre o que quer fugir mas outros olhos os procuram e se aproximam para que não saia dali sem a marca negra. Ouvi alguém citar o seguinte dito tradicional.
...MAGUSTO SEM FARRUSCO NÃO É MAGUSTO !!!
Bem hajam. Beirões.
video

domingo, 24 de maio de 2009

O Islâmismo em Mértola















Na bela Vila de Mértola parecia que tinha sido invadida de novo pelos Mouros. Tiveram os organizadores a feliz ideia de criarem um ambiente propício á época em que a vila e o Alentejo eram Muçulmanos. As ruas decoradas. As danças do ventre. O som ambiente nas ruelas com as ordens muçulmanas. As vendas nas ruas do centro da Vila histórica. As típicas Pitas e shwarmas em tabernas com as mesas e o chão entapetados. E por cima das mesas os cachimbus da Páz. É um evento que se realiza de 2 em 2 anos mas vale a pena visitar. Parabéns a organização.
video

segunda-feira, 9 de março de 2009

FIM DE SEMANA EM PENHA GARCIA









(INTRODUÇÃO AO SR. ALBINO SILVA)o poeta de penha garcia.

"Que Povo é este que Povo". O eterno fado da Amália que por sua vez questionava que tipo de Povo era o de Portugal. Mas direi de outra forma mais positiva. "QUE POVO ESTE, QUE POVO", tão gentil, tão ordeiro, tão digno deste País que ás vezes não é reconhecido ou até ignorado por muitos. Não fico indiferente á forma como fui recebido este fim de semana na linda Vila de Penha Garcia. Logo á chegada e mal tinha colocado as malas no quarto onde fiquei, surge um habitante local desejando as boas vindas, citando as grandes virtudes da Vila e das gentes citando que até havia um poeta com um livro publicado. Mas tanto citou o Poeta que solicitei o seu nome. Referiu que o mesmo seria pobre, e que não tinha "cabeça". Sem orientação." returqiu Ele". Insistindo para divulgar o nome, faz uma pausa, mostrando um sorriso e dizendo que era ele próprio. Começa por dizer alguns poemas sobre a Terra. Por fim ,não esqueço que ao subir as escadas para o apartamento começa por citar um poema sobre Monsanto o qual fiquei rendido a sua Pessoa, e sua poesia. Mais tarde e ao final do dia surpreendeu-nos com o seu livro, tendo eu de imediato comprado, o qual ainda estou a ler. Após ler alguns poemas, solicitei um novo encontro no café local para saber algo mais sobre Ele, e fiquei a saber que veio muito novo para Lisboa, não tendo talvez o apoio necessário para uma melhor orientação, e até para encaminhar para uma melhoria cultural. Voltou para Penha Garcia alguns anos mais tarde, também não foi apoiado por alguns habitantes da Aldeia. Seria este, o motivo por me dizer que não tinha "cabeça" ou orientação para seguir em frente. Mas em minha opinião o sr. Albino tem mais instrução que alguns que por lá estão. O sr. Albino é tão capaz como outros que lá estão. O que os outros não são é capaz de fazer o que o sr. Albino faz. Por mim sr. ALBINO um BEM HAJA muito vivo, tal como vocês aí dizem. Não desista de viver a vida. Continue sem beber álcool,. Deixe de fumar. Continue sempre em frente com a sua força que demonstrou e que outros não são capazes. Mais uma vez "BEM HAJA", citando os hábitos dessa linda Aldeia que se chama Penha Garcia.

Poema do Sr. Albino Pires dos Santos, do seu livro de poemas com o titulo: UM POETA DE PENHA GARCIA

(citado a minha chegada)

Vindo eu por um caminho
Sempre em frente andando
Vi algo de estranho
Lá para os lados de Monsanto
Segui até essa linda aldeia
Sem saber o que se iria passar
Alguém no meu caminho encontrei
E lhe estive a perguntar
Que havia por ali
Para aquela gente estar tão contente
Essa pessoa me respondeu
Que aquilo era uma gentileza
E se queria ver que era lindo
Que seguisse até à devesa
E teria o orgulho de apreciar
O que era uma festa Portuguesa

(feito em 28.08.1988)


2º poema


Ó minha terra
Rico berço onde nasci
Como posso eu deixar-te
Se não consigo viver sem ti

Essa linda serra
Que tens em teu redor
Dá uma paisagem tão linda
De Penha Garcia ao Salvador

És uma bonita aldeia
Mesmo no cimo da serra
Acreditem, podem crer
Que não há outra como ela

Alguém diz que Penha Garcia
Já não ganha para a taxa
Mas eu continuo a dizer
Que é a mais bonita da Beira Baixa

(feito em 14.09.1989)


3º poema do sr. que se julga vagabundo ( mas não é)

Meu Senhor Deus
Anda sempre na minha companhia
São José o teu Pai
E também a tua mãe, a Virgem Maria

Quando eu morrer um dia
A teus pés me irei ajoelhar
Para todo o mal que fiz neste mundo
Me possas também perdoar

Sei que estás muito magoado
Por pouco te rezar
Mas perdoa-me ó meu Deus
Porque só tu me poderás salvar

Sempre fui um vagabundo
Que andei sem destino
Mais uma vez te peço Senhor
Anda sempre no meu caminho

(feito em 20.08.1988)




(SOBRE AS ALDEIAS EM GERAL)
Não é costume nos meus blogues citar desta forma em casos pessoais, mas achei este interessante demais para o efeito. De qualquer forma também faz parte das minhas deslocações culturais. E esta que tão importante foi. Talvez das melhores que efectuei. Tive oportunidade de conhecer um Povo muito afável. Quer nas mercearias. Nas ruas. Nos cafés, sempre com uma amabilidade não muito usual por algumas zonas deste País. Ao deslocar ao local onde existem fosseis de "trilobites", e sendo eu ignorante quanto a este fossil,e ao solicitar uma informação foram de tal forma tão explicativos, e com tanta perda de tempo que não é normal. Para eles " TRILOBITES AVENTURA" também um BEM HAJA muito grande com o significado que aí é tão representativo. Tive a oportunidade de ver uma Nora de água a moer a farinha na realidade. Há muitas por esse País fora mas todas obsuletas. Também não posso deixar de referir o excelente trabalho da autarquia que para alem de ter apadrinhado e facultado a publicação do livro do sr. Albino, também se empenharam em proteger os moinhos de água aproveitando também para expor outros utensílios utilizados em tempos pelos habitantes. Peguei eu na minha bicicleta aí fui através desses campos fora , com marcações para caminheiros (também muito bem marcados) até Idanha-a-Velha. Ao entrar parece que de repente estamos na época do Império Romano. E Monsanto, a tal aldeia histórica também muito interessante de visitar e preservada. Também não posso deixar de desejar um "BEM HAJA" por estas iniciativas da câmara municipal local. Talvez outras possam ver este concelho como exemplo.
Efectuei todo este percurso em 3 dias com outro amigo, num total de 125 km através dos campos visitando, Penha Garcia, Monfortinho, Termas de Monfortinho, Monsanto, Idanha a Velha. Observando o que de melhor nos dá a Natureza nesses locais através do silencio dos campos, observando a aves, e os animais que se nos atravessava pela frente.É de bicicleta, ou a pé que se observa o bom que a Natureza nos dá. E que bom também conhecer este Povo simples e humilde que faz parte de Portugal . Talvez quem sabe um dia voltarei de novo. Mais uma vez "BEM HAJA" Penha Garcia.


terça-feira, 17 de fevereiro de 2009

LISBOA A NOITE DE BICICLETA, vale mesmo a pena








Mais uma vez lá fui fazer outra experiência nocturna em pleno Inverno. Peguei na bicicleta e fui juntar a um grupo de amigos com o objectivo de percorrer a bela Cidade de Lisboa a noite num total de 28 klm. Com inicio na Torre de Belém, passando pela Estrela, Marques, Graça, Castelo, voltando ao local de partida através da zona ribeirinha do Tejo, é algo de muito lindo e de diferente, ainda por cima nos locais onde de dia é meu habito circular de automóvel. A ausência de transito. As luzes nocturnas. As ruas tradicionais, é algo de diferente que voltarei a fazer de novo já que o clube que organiza este evento o realiza todas as 2ª feiras a noite. A quem quiser participar poderá visitar o sítio na internet. www.clubenatura.com